Ministério da Saúde  
Saúde 24
Apresentação

O conceito de Cirurgia do Ambulatório tem vindo a evoluir ao longo do tempo, através de uma definição de critérios de seleção mais precisos e com um número crescente de procedimentos realizáveis e de clientes com critérios de admissão. Atualmente, a definição de Cirurgia do Ambulatório engloba todos os procedimentos cirúrgico em que o cliente é admitido e tem alta até 24 horas após a cirurgia, pelo que é necessária uma criteriosa seleção de clientes e procedimentos.

A Unidade de Cirurgia do Ambulatório está organizada de acordo com padrões de qualidade, segurança e humanização de modo a granjear credibilidade e prestígio.

Funciona desde Maio de 2001 e representa um pólo importante do desenvolvimento da atividade hospitalar dado que tem contribuído para a melhoria da sua produção global ao atuar diretamente na diminuição das listas de espera dos clientes a aguardar cirurgia e na racionalização dos custos.

O horário de funcionamento em vigor na Unidade Cirurgia do Ambulatório é de 2ª feira a sábado, das 8 horas às 20 horas.

Actualmente desenvolve a actividade cirúrgica nas especialidades de Cirurgia Geral, Ortopedia e Ginecologia.

Assegura também, numa sala específica, a realização de atos cirúrgicos sob anestesia local e exames complementares de diagnóstico nas especialidades de Cirurgia Geral e Pneumologia.

Dentro dos doentes elegíveis para Cirurgia de Ambulatório é necessário fazer uma seleção criteriosa  que envolve a participação de um cirurgião, de um anestesista e de um enfermeiro.

Para além dos critérios relativos à patologia a que respeita a intervenção cirúrgica, é necessária uma consulta de enfermagem dirigida para a aquisição de conhecimentos relativos aos momentos pré, intra e pós-operatório, entre os quais:

  • A seleção do perfil social exigido para que a admissão, a intervenção cirúrgica e a alta ocorram no mesmo dia.
  • O ensino sobre a especificidade do regime cirúrgico de ambulatório e o desempenho de atividades adequadas à prevenção de complicações, nos momentos pré e pós-operatórios. Este ensino é complementado, de forma escrita, com a entrega do guia do cliente e dos folhetos informativos e de forma visual com a apresentação de vídeos. [Anexo II]
  • A avaliação da qualidade dos cuidados prestados, através da identificação das principais complicações e da apresentação e implementação de propostas de melhoria.
  • A avaliação do grau de satisfação do cliente através da aplicação de um questionário.
Centro Hospitalar Póvoa de Varzim - Vila do Conde ©2018 | Todos direitos reservados Portugal Interactivo
Governo de Portugal